A Delegação da União Europeia em Moçambique emitiu a seguinte Declaração sobre a situação vivida em Cabo Delgado:

A Delegação da União Europeia manifesta a sua grande preocupação com a visível degradação da situação de segurança na província de Cabo Delgado, ocorrida nas últimas semanas, particularmente com um aumento significativo de ataques, incluindo a ocupação temporária de sedes de distrito em Mocímboa da Praia, Muidumbe e Quissanga. Seguimos com apreensão o consequente agravamento da situação humanitária na província, com uma crescente insegurança das populações locais e a rápida multiplicação do número de deslocados internos.

 

A presente situação requer uma acção eficaz que permita proteger os cidadãos, desenvolver investigações que permitam levar os responsáveis à justiça e identificar o papel desempenhado por grupos extremistas violentos. A Delegação da União Europeia reitera a sua disponibilidade para prestar assistência a Moçambique e prosseguir e intensificar o diálogo com as autoridades nacionais com vista a delinear uma solução integrada, coordenada e abrangente que dê reposta às múltiplas dimensões da actual crise, incluindo as suas implicações regionais.

 

A resposta a ser dada pelas autoridades só poderá proporcionar resultados efectivos e satisfatórios se garantir o pleno respeito pelos direitos humanos e liberdades fundamentais das populações. O exercício das liberdades de expressão, de imprensa e do direito à informação afiguram-se, neste contexto, fundamentais para permitir uma melhor compreensão e combate ao fenómeno do extremismo violento que assola a província.

 

É de lamentar o desaparecimento, no passado dia 7 de Abril, do jornalista da Rádio Comunitária de Palma, Ibraimo Abu Mbaruco. A Delegação da União Europeia apela às autoridades para que este caso seja investigado com rapidez e profundidade.

Para mais informação sobre a União Europeia em Moçambique, consulte: https://eeas.europa.eu/delegations/mozambique_pt

  • Partilhe