CARTAZ OsMabundas LOW

Inaugura no próximo dia 10 de Abril (quarta-feira), pelas 18h30, no Camões – Centro Cultural Português em Maputo, a exposição “Os Mabundas, uma apresentação inédita do trabalho dos artistas moçambicanos, Gonçalo, Santos e Rodrigo Mabunda.

A mostra idealizada pelo Camões em Moçambique tem um trabalho curatorial conjunto do Arquiteto Guilherme Godinho e do Diretor do Camões – Centro Cultural Português em Maputo, João Pignatelli. 

Esta arrojada iniciativa, que conta com o apoio do Barclays Bank Moçambique, tem como objetivo mostrar, na cidade onde nasceram os artistas, a singularidade e excelência dos trabalhos apresentados e divulgar junto do público nacional e internacional o fértil trabalho criativo de três do mais talentosos artistas plásticos de Moçambique na atualidade.

Nesta mostra familiar, as obras selecionadas são apresentadas dentro de um discurso curatorial que envolve não só a disposição espacial das obras em harmonia com o genius loci da sala do Camões, mas também fatores como a tonalidade das paredes, a luminosidade, a presença de textos, entre outros elementos. O olhar dos curadores explorou uma opção de trabalhos representativos dos diversos estilos representados pelos artistas.

Nesse âmbito, o público poderá assim ver um conjunto de cerca de 40 obras dos irmãosMabunda, que durante o seu percurso desenvolveram linguagens muito particulares, tal como técnicas diferenciadas e específicas de expressão artística.

A exposição “Os Mabundas  –  Gonçalo, Santos e Rodrigo, reúne um conjunto abrangente de obras produzidas recentemente, que inclui um painel coletivo produzido propositadamente para a ocasião, que será terminado e apresentado no dia 10 de abril, data oficial da inauguração da exposição. 

A exposição “Os Mabundas” apropria-se assim da ampla sala do Camões, tonando-a casa destes talentosos artistas, exaltando as raízes e os laços familiares comuns e dando ainda espaço para a afirmação da identidade própria e de caráter individual de cada artista.

É com grande expectativa que o trabalho dos 3 irmãos Mabunda é apresentado pela primeira vez em simultâneo, numa exposição original, na cidade e país que os viu nascer.

João Pignatelli, responsável pelas atividades culturais do Camões em Moçambique sublinha que «esta exposição “Os Mabundas” é um excelente exemplo da singularidade, criatividade e qualidade da arte e dos artistas que existem em Moçambique. Um país que de norte a sul tem artistas e criadores de grandíssima qualidade» e ainda sobre a exposição refere “será também uma ocasião para fazer um tributo a esta família moçambicana tão especial e que tem no seu ADN todo este talento artístico”.

“Há na obra de todos os irmãos Mabunda uma convergência que, com avanços e recuos, se mistura com influências socio-antropológicas e artísticas ocidentais e, em conjunto com a constante alusão à arte étnica tribal e ao folclore africano, converge para um pós-Dada Africano”, diz Guilherme Godinho, um dos curadores.

Nas palavras de Rui Barros, Administrador Delegado do Barclays Bank Moçambique “Os irmãos Mabunda, o Gonçalo, o Santos e o Rodrigo, são uma referência no panorama cultural Moçambicano, representando um país, uma gente, uma garra que é um exemplo para todos. O Barclays Bank Moçambique identifica-se com esta forma de ser e de estar, assim como reconhece a importância da cultura Moçambicana na construção do nosso país. Ao sermos abordados para apoiar esta iniciativa, não podíamos deixar de responder positivamente, porque o tanto que as obras destes irmãos representam, é também um testemunho de um país em desenvolvimento, de um país que evoluiu e se renova todos os dias, deste mesmo país que a nossa instituição tem acompanhado ao longo dos últimos 40 anos”.

Sobre os irmãos Mabunda

Santos e Rodrigo têm exibido o seu trabalho, sobretudo, em exposições colectivas a nível nacional, enquanto emergem como criadores artísticos, já Gonçalo Mabunda, um dos artistas com méritos reconhecidos e apreciados internacionalmente, já se afirmou há muito no competitivo circuito da arte contemporânea e, nesse sentido, pertence a uma restrita elite com presença e constância no mercado mundial, tendo passado por algumas das salas de maior relevância e visibilidade globais. As suas obras são expostas em diversas galerias de Paris, a Londres e Nova Iorque, de Macau ao Dubai, em Lisboa e Óbidos; em África tem sido apresentado em praças como Marraqueche, Dakar, Joanesburgo e Maputo. Atualmente tem a sua obra representada em importantes coleções privadas e públicas ao redor do mundo. Gonçalo recorre à escultura e soldadura metálica, tendo como elemento distintivo o uso de material de guerra descontinuado. Santos tem feito a evolução de um desenho monocromático para trabalhos que, embora utilizem a cor, mantêm a mesma sobriedade das suas obras iniciais, assumindo as colagens nas suas criações mais recentes e que pela primeira vez poderão ser apreciadas pelo público. No caso de Rodrigo, o mais “caçula” dos irmãos, o suporte utilizado para os seus desenhos, também monocromáticos, mas neste caso feitos a esferográfica, são caixas de cartão reutilizadas reaproveitadas para o efeito.

 

 

Exposição: “ Os Mabundas”

Data: 10 de abril a 31 de maio (segunda a sábado, das 11:00 às 17:30)

Local: Camões - Centro Cultural Português | Maputo – Av. Julius Nyerere nº720

Contatos: Tel. 21493892; Email: geral.camoes-ccp@tvcabo.co.mz

Website:http://camoes-ccpmocambique.co.mz/

Facebook: https://www.facebook.com/camoesmaputo/

Instagram: camoesmaputo

(entrada livre)

  • Partilhe