Embaixada de Portugal em Moçambique

Ministério dos Negócios Estrangeiros

ONGD ADPM | Missão de serviço público a Nampula

ONGD ADPM 01

ONGD ADPM 02

ONGD ADPM 03

A Embaixadora de Portugal, Maria Amélia Paiva, deslocou-se no dia 12 de julho à vila de Monapo, onde foi recebida pelo Presidente do Conselho Municipal, João Luís, e sua equipa, e teve ocasião de visitar o trabalho que tem sido desenvolvido pela Cooperação Portuguesa, nomeadamente pela ONGD Associação Defesa do Património de Mértola (ADPM) e pela Fundação São Barnabé, com cofinanciamento do Camões – Instituto da Cooperação e da Língua (CICL). Participaram na visita o Conselheiro para a Cooperação, Miguel Girão de Sousa e o Técnico-residente do Projeto Cluster, Vasco Ribeiro.

Durante esta visita foi possível conhecer as instalações e equipamentos, resultantes do projeto Apoio à Criança - Desenvolver Monapo e projeto Nutrir e Crescer - Monapo em progresso, como sejam o Centro de Saúde, a Maternidade, a Escola Secundária, incluindo sala de informática e laboratório, o Centro de Recursos e Biblioteca, e o recém-construído Centro Infantil. A delegação teve também oportunidade para visitar uma obra em curso, com apoio da Cooperação Portuguesa, de construção de um depósito de água semienterrado, com capacidade para 300 mil litros, que irá permitirá o abastecimento de água mais alargado às comunidades locais, o que representará uma melhoria da qualidade de vida, das condições de higiene e de saúde.

De notar que fruto do apoios concedidos pela Cooperação Portuguesa foram já construídas em Monapo cerca de 40 salas de aula, instaladas várias centenas de carteiras, construídas e equipadas duas salas de informática, apetrechados laboratórios de física, química e biologia, abertos 15 furos de água, construída e equipada uma maternidade, e electrificados através de painéis solares várias unidades de saúde, operacionalizado o Centro de Recursos e Centro de Tempos Livres, o Centro Infantil, a Biblioteca Itinerante e várias bibliotecas escolares. Destacam-se igualmente as Escolinhas já a funcionar, as atividades conducentes à participação pública e interacção com a comunidade realizadas de forma continuada pelas associações parceiras, as acções de formação e capacitação informal para jovens, mulheres e crianças bem, como para quadros técnicos e dirigentes, o reforço das organizações da sociedade civil, e acções com vista à dinamização de processos participativos, de transparência e de boa governação. Salienta-se ainda a elaboração de manuais escolares e o lançamento de várias campanhas públicas de vacinação infantil, saúde escolar, saúde comunitária, limpeza e saneamento.

Partilhar:
FacebookTwitterGoogle +E-mail