Embaixada de Portugal em Moçambique

Ministério dos Negócios Estrangeiros

Visita às instalações da SUMOL+COMPAL Moçambique, SA

A Embaixadora de Portugal em Moçambique, Maria Amélia Paiva, acompanhada da Directora da AICEP deslocou-se no dia 19 de Abril às instalações da SUMOL+COMPAL Moçambique, SA no dia 19 de Abril de 2017, para assistir à cerimónia que celebrou  o envio dos primeiros camiões de exportação para a cadeia sul africana Pick n’ Pay. Trata-se de uma das mais importantes cadeias de distribuição sul africanas, com padrões de qualidade e controlo alimentar muito elevados.

A SUMOL+COMPAL Moçambique, SA é parte do grupo de origem Portuguesa SUMOL+COMPAL, cujas origens remontam à década de 50 (as marcas mais emblemáticas do grupo, Compal e Sumol, cumpriram já mais de 60 anos), que detém mais de 99% do capital, num investimento aproximado de 12,3 milhões de Euros. A unidade industrial produz sumos e néctares em tecnologia de enchimento TetraPak, com quatro linhas de enchimento, sendo duas alocadas à marca Compal e outras duas à marca GUD. Esta tecnologia é idêntica à usada pelo Grupo em Portugal, colocando a empresa ao nível das melhores do mundo na categoria de sumos e néctares. A empresa aposta em marcas sólidas e na Qualidade dos seus produtos, garantindo que os produtos fabricados em Moçambique são exatamente iguais aos feitos em Portugal, com sistemas de Garantia da Qualidade idênticos. É uma empresa que tem muito orgulho na Qualidade das suas Pessoas (tem 102 Colaboradores directos), e na sua dupla origem, Portuguesa e Moçambicana.

A marca Compal é conhecida no mercado regional há muitos anos devido às exportações realizadas a partir de Portugal (o grupo exporta para mais de 70 países), tendo registado um forte crescimento desde a implantação desta unidade industrial (multiplicando por 3 os volumes desde o início da produção), atingindo cerca de 40% de quota de mercado em Moçambique. Por outro lado a marca COMPAL aposta na diferenciação, oferecendo produtos com alto valor acrescentado e com características únicas, que a posicionam com vantagem face à oferta existente na região.

O Ministro da Indústria e Comércio de Moçambique, Ernesto Max Tonela realçou na ocasião a importância deste projeto na criação de riqueza, geração de emprego e no aumento de exportações e consequente entrada de divisas na economia moçambicana. Fez também votos para que a empresa em breve passe a utilizar polpa de fruta Moçambicana. A empresa cumprirá assim parte importante da sua missão face à economia Moçambicana, pois continuará a contribuir para a redução das importações e também para o aumento das exportações.

Este contrato com a Pick n’ Pay terá um impacto muito positivo no crescimento das exportações da Fábrica de Boane que já exportava em pequena escala para os mercados da África do Sul e Madagáscar mas está agora a aumentar significativamente as vendas fora de Moçambique. Em carteira estão já igualmente encomendas de Malawi, Zâmbia e Zimbabwe.

Ver álbum de fotografias - 1 de 3

Ver álbum de fotografias - 2 de 3

Ver álbum de fotografias - 3 de 3

Partilhar:
FacebookTwitterGoogle +E-mail