Embaixada de Portugal em Moçambique

Ministério dos Negócios Estrangeiros

MOÇAMBIQUE. Atualização dos conselhos aos viajantes

A Embaixada de Portugal em Maputo informa que os conselhos aos viajantes constantes do sítio da Secretaria de Estado das Comunidades Portuguesas (http://www.portaldascomunidades.mne.pt ) foram atualizados no que se refere aos cuidados a ter nas deslocações em Moçambique. Passa-se a inscrever na íntegra o texto ali contido:

 

Aviso

1. Os efeitos das chuvas intensas que afetaram Moçambique no início de 2015, em particular as províncias do centro e norte do País, foram já em grande parte mitigados no que respeita às  principais vias de comunicação, especialmente a Estrada Nacional 1, já transitável em todo o seu percurso. Tal não é o caso, porém, de muitas das vias secundárias das sete províncias a norte do rio Save. Atendendo a que a ocorrência de chuvas se mantém, embora menos intensas, é difícil fazer um prognóstico com segurança sobre a transitabilidade no imediato  dessas vias secundárias, pelo que se recomenda que, antes de iniciar uma viagem com segmentos de percurso fora dos principais eixos viários (estradas nacionais), procure inteirar-se sobre eventuais cortes e/ou obstruções por outras causas (queda ou estado crítico de pequenas pontes) que ainda subsistam nesses percursos. Um veículo de tração às quatro rodas minimiza problemas em estradas ou troços não asfaltados e é aconselhável para longas distâncias interurbanas ou deslocações a zonas rurais, aconselhando-se no entanto que, sempre que possível, viajem no mínimo duas viaturas. Procure viajar com alguma folga de tempo para não comprometer regras básicas de condução segura e poder acomodar eventuais atrasos no tempo previsto para a duração da viagem devido a imprevistos relacionados com as condições rodoviárias. Ainda em benefício da segurança, relembra-se a conveniência de evitar viajar no período noturno.

2. Recorda-se a importância de os cidadãos portugueses informarem os Consulados-Gerais de Portugal em Moçambique das suas deslocações ao país ou, no caso dos nacionais residentes, estarem registados nos Consulados-Gerais com jurisdição sobre a área em que residem (Consulado-Geral em Maputo nos casos da Cidade de Maputo, Províncias de Maputo, Gaza e Inhambane; Consulado-Geral na Beira para as restantes Províncias – Sofala, Manica, Zambézia, Tete, Nampula, Niassa e Cabo Delgado) e de informarem aqueles Consulados-Gerais de quaisquer alterações nos seus telefones de contacto. Deverão ainda manter-se atentos às informações que possam ser enviadas pelos respetivos Consulados-Gerais sobre a situação de segurança no país. Deverão, além disso, manter consigo, em todos os momentos, o nº de telefone de emergência consular, o qual poderão contactar em caso de emergência.

3. Face à atual situação de segurança em Maputo, onde se tem registado uma particular incidência de raptos, recomenda-se ao viajante a maior cautela nas deslocações, não frequentar locais isolados, evitar as rotinas, incluindo não efetuar diariamente os mesmos percursos, não exibir bens com valor monetário significativo e manter sempre a família ou pessoas de confiança informadas sobre as deslocações.

4. Os cidadãos nacionais que viajam para Moçambique têm de obter um visto adequado junto dos postos consulares daquele país em Portugal.

Partilhar:
FacebookTwitterGoogle +E-mail