Embaixada de Portugal em Moçambique

Ministério dos Negócios Estrangeiros

Mensagem de Boas Vindas

02

No dia em que apresentei credenciais a Sua Excelência o Presidente da República de Moçambique Filipe Jacinto Nyusi e assim inicio oficialmente funções como Embaixadora de Portugal em Moçambique é com muito gosto que vos dou as boas-vindas a este espaço que se pretende seja de informação e de divulgação sobre Portugal, mas também de aproximação entre o nosso país e Moçambique.

Neste início do século XXI, a Internet tornou-se um veículo indispensável de comunicação e de aproximação de todos/as aqueles/as que se encontram separados pela distância.

Este sítio que se deseja seja interactivo e por isso aberto às vossas contribuições é também o espaço para a divulgação das actividades e iniciativas de promoção de Portugal levadas a cabo por esta Embaixada, nomeadamente as do Centro Cultural Português, as da Cooperação Portuguesa e do Centro de Negócios da AICEP. Estarão também disponíveis outros elementos de informação relativos aos vários setores em que se desenvolvem as excelentes e diversificadas relações bilaterais entre os dois países, com o objectivo que, creio poder afirmar ser partilhado, de podermos ter mais comércio, mais investimento, mais turismo, mais cultura entre os nossos países.

Por último, podem ainda encontrar os principais links institucionais e económicos que poderão facultar elementos adicionais de consulta e assim contribuir para um melhor conhecimento recíproco dos dois países e laços mais profundos entre os seus cidadãos.

Espero assim que este seja um espaço facilitador nos vossos contactos com os serviços desta Embaixada e com os vários organismos da Administração Pública em Portugal.

Mª Amélia Paiva

Embaixadora de Portugal em Maputo

12 de Outubro de 2016

Ver fotografias da Cerimónia de Apresentação de Cartas Credenciais: 01   02   03    04


 

APRESENTAÇÃO DO LIVRO "A HISTÓRIA DO JOÃO GALA-GALA" | PEDRO PEREIRA LOPES E CHICO ANTÓNIO | 26 DE OUT | 16H00

Cartaz JoaoGalaGala

O Camões – Centro Cultural Português em Maputo e a Escola Portuguesa de Moçambique – Centro de Ensino e Língua Portuguesa têm o prazer de informar que o livro A História doJoão Gala-Gala, de Pedro Pereira Lopes e Chico António, será apresentado no dia 26 de outubro, às 16h00, no Camões – Centro Cultural Português.

A História doJoão Gala-Gala é um livro infanto-juvenil que conta com ilustrações de Luís Cardoso e publicação da Escola Portuguesa de Moçambique – Centro de Ensino e Língua Portuguesa.

A História doJoão Gala-Gala é baseada na biografia de Chico António, músico moçambicano, e narra uma aventura de um rapaz, do campo para as margens das ruas da cidade, onde semeia amigos e histórias e recolhe sons e harmonias com que mais tarde comporá as suas canções. Trata-se de uma versão ficcionada por Pedro Pereira Lopes e que Luís Cardoso transfere para a tela, dando-lhe as cores de um cenário fantástico onde o ocre do campo se mescla com as luzes da cidade e dos seus múltiplos meandros.

A sessão de lançamento contará com a apresentação de um documentário sobre todo o processo criativo do livro e com a encenação da história pela Associação Iverca em parceria com a Escola Primária Completa Unidade 23, finalizando com uma sessão de autógrafos com os autores e ilustrador.

Nota Biográficas:

Pedro Pereira Lopes nasceu na Zambézia, em 1987. Membro da Associação dos Escritores Moçambicanos, é pesquisador e docente no Instituto Superior de Relações Internacionais.

Obras e prémios:Setenta vezes sete e outros contos (não-publicado, 2009), 3º lugar no concurso de ficção narrativa João Dias; O homem dos 7 cabelos (infanto-juvenil, 2012), Prémio Lusofonia/Município de Trofa (2010); Kanova e o segredo da caveira (infanto-juvenil, Maputo, 2013; São Paulo, 2017), Viagem pelo mundo num grão de pólen e outros poemas (infanto-juvenil, Maputo, 2014; São Paulo, 2015), O mundo que iremos gaguejar de cor (contos), Menção honrosa do Prémio Literário 10 de Novembro (Maputo, 2015) e Menção honrosa do Prémio Literário Eduardo Costley-White (Lisboa, 2016); O comboio que andava de chinelos (infanto-juvenil, no prelo), Prémio Maria Odete de Jesus (2016); o mundo que iremos gaguejar de cor (2017).

Chico António nasceu em 1958. Foi pastor em Magude, na província de Maputo e menino de rua em Lourenço Marques, mais tarde Maputo, onde chegou no início dos anos 60. Aos nove anos tornou-se solista e aprendeu trompete e solfejo. Fez parte dos grupos “RM” e “Orquestra Star de Moçambique”. Ganhou, em 1990, o prémio Radio France International (RFI), com a música “Baila Maria”, num dueto com Mingas. Estudou música em França e fundou, depois, o Amoya Studio and Art Gallery. Lançou, em 2014, o álbum “Memórias”. Participa, com certa frequência, em tournées pela Europa e África e tornou-se um colaborador regular de música para documentários, filmes, vídeos e peças de teatro.

Luís Cardoso nasceu em 1964, na Beira. Habituou-se desde cedo às suas paisagens de cores intensas e de fortes contrastes. Apropriou-se assim, de uma paleta em tons de ocre e azuis de mar, de vermelhos amadurecidos nas árvores pelas mangas e pelos cajus. Apropriou-se do verde-capim que circundava a casa, onde vivia os seus primeiros anos de vida, e que se estendia até ao longe, onde a floresta começava. Ainda menino, lembra-se de fechar os olhos e de colorir as histórias que lhe contavam, dos espíritos e das lendas, e dos animais que falavam. Acha que foi assim que aprendeu a ilustrar e a pintar as histórias que ouvia... Foi professor de História e mais tarde designer gráfico. É profissional de publicidade e artista plástico. Participou em muitas exposições e ilustrou vários livros. Diz que gosta de contar histórias ilustrando, desenhando e pintando e que foi esta a forma que encontrou para continuar a colorir o seu mundo e ajudar a colorir o mundo dos outros.

A Maior Flor do Mundo - Ilustrações de André Letria | 26 de outubro - 29 de novembro | Camões – Centro Cultural Português em Maputo

CartazAndréLetria

De 26 de outubro a 29 de novembro estará patente a exposição A Maior Flor do Mundo, no Camões – Centro Cultural Português em Maputo, com ilustrações de André Letria dedicadas ao conto infantil de José Saramago (1922-2010).

Este conjunto de ilustrações foi apresentado pela primeira vez, em 2015, na Fundação José Saramago, no Auditório da Casa dos Bicos, em Lisboa. Depois desse momento, A Maior Flor do Mundo iniciou itinerância e tem vindo a ser apresentada em diversos locais, entre eles, por exemplo, na 1ª edição do Folio – Festival Literário Internacional de Óbidos (2015). A Maior Flor do Mundo é apresentada pela primeira vez em Moçambique.

No âmbito do programa paralelo ao período em que estará patente a exposição, irão realizar-se algumas iniciativas, nomeadamente a projeção do vídeo A Maior Flor do Mundo e a dinamização de atividades educativas para crianças.

As ilustrações de André Letria em A Maior Flor do Mundo foram premiadas na 11ª Edição do International Book Show, promovida pela revista norte-americana 3 x 3.

A apresentação de A Maior Flor do Mundo em Maputo conta com o apoio da Fundação José Saramago e da Editora Pato Lógico. A exposição estará aberta ao público, de segunda a sexta-feira, entre as 10h00 e as 17h00.

Par mais informação, por favor contactar:

Mariana Campos

Camões - Centro Cultural Português em Maputo

tel.: (+258) 21 493892

e-mail: mariana.campos@mne.pt

Diálogo Cultural "Desafios das indústrias culturais e criativas na geração de emprego em Moçambique" | 25 de Outubro | 17h30 | Camões - Centro Cultural Português em Maputo

poster ocultu web

No dia 25 de outubro, às 17h30, o Camões – Centro Cultural Português em Maputo acolhe uma iniciativa promovida pelo Observatório Cultural de Moçambique (OCULTU) subordinada ao tema Desafios das indústrias culturais e criativas na geração de emprego em Moçambique. A sessão será dinamizada pelo docente e pesquisador na área cultural e produtor musical Rufus Macuvule.

O Plano Quinquenal do Governo de Moçambique (2015 -2019) definiu como umas das prioridades a promoção do emprego, a melhoria da produtividade e da competitividade. No sector da Cultura e do Turismo, a grande aposta consiste no desenvolvimento das Indústrias Culturais e Criativas. Encontra-se em fase de implementação a Política das Indústrias Culturais e Criativas, aprovada pela Resolução Nº 34/2016 de 12 de Dezembro. Que mecanismos podem permitir a transformação da produção artística em fonte de geração de renda? Quais são os sectores mais dinâmicos e promissores das Indústrias Culturais e Criativas em Moçambique?

Estas e outras questões serão objeto de discussão nesta sessão, que contará com a participação de gestores e promotores do sector cultural e criativo, com o objetivo de refletir e trazer recomendações sobre o tema.

A iniciativa conta com o apoio da Cooperação Suíça.

 

Nota Biográfica:

Rufus Maculuve é licenciado em Gestão e Estudos Culturais pelo Instituto Superior de Artes e Cultura (ISArC, 2012) onde leciona Produção Cultural. É co-fundador da Kaleidoscopio - Pesquisa em Políticas Públicas e Cultura, Diretor Executivo do Music Crossroads Moçambique desde 2009 e colaborador no programa Umoja. É também músico autodidata e membro fundador da banda Kapa Dêch.

Contactos

Av. Julius Nyerere, nº 720 / 730
4696 – 00110 - Maputo

(00258) 214 903 16 / 19 / 22
maputo@mne.pt

Mais informação

Apoio às vítimas dos incêndios - Fundo Revita

Para mais informações clique aqui para ver

Ligações úteis

Guia do Cidadão Português

Espaço Portugal Moçambique

EMP logo

Logotipo AICEP - Portugal Global

Logotipo Turismo de Portugal

Websummit

Logotipo Portal das Comunidades Portuguesas

Conselhos aos viajantes

Registo Viajante

Logotipo Camões - Instituto da Cooperação e da Língua

Lisboa Capital Iberoamericana da Cultura

Igualdede de Género

Diário da República

Instituto Diplomático

Logotipo Carreiras Internacionais

Logotipo Portugal Economy Probe

Portugal 30 anos na União Europeia

PORDATA