Embaixada de Portugal em Moçambique

Ministério dos Negócios Estrangeiros

Mensagem de Boas Vindas

02

No dia em que apresentei credenciais a Sua Excelência o Presidente da República de Moçambique Filipe Jacinto Nyusi e assim inicio oficialmente funções como Embaixadora de Portugal em Moçambique é com muito gosto que vos dou as boas-vindas a este espaço que se pretende seja de informação e de divulgação sobre Portugal, mas também de aproximação entre o nosso país e Moçambique.

Neste início do século XXI, a Internet tornou-se um veículo indispensável de comunicação e de aproximação de todos/as aqueles/as que se encontram separados pela distância.

Este sítio que se deseja seja interactivo e por isso aberto às vossas contribuições é também o espaço para a divulgação das actividades e iniciativas de promoção de Portugal levadas a cabo por esta Embaixada, nomeadamente as do Centro Cultural Português, as da Cooperação Portuguesa e do Centro de Negócios da AICEP. Estarão também disponíveis outros elementos de informação relativos aos vários setores em que se desenvolvem as excelentes e diversificadas relações bilaterais entre os dois países, com o objectivo que, creio poder afirmar ser partilhado, de podermos ter mais comércio, mais investimento, mais turismo, mais cultura entre os nossos países.

Por último, podem ainda encontrar os principais links institucionais e económicos que poderão facultar elementos adicionais de consulta e assim contribuir para um melhor conhecimento recíproco dos dois países e laços mais profundos entre os seus cidadãos.

Espero assim que este seja um espaço facilitador nos vossos contactos com os serviços desta Embaixada e com os vários organismos da Administração Pública em Portugal.

Mª Amélia Paiva

Embaixadora de Portugal em Maputo

12 de Outubro de 2016

Ver fotografias da Cerimónia de Apresentação de Cartas Credenciais: 01   02   03    04


 

USAKOS: Fotografia para Além de Ruínas Os álbuns da antiga localidade, dos anos 1920s aos 1960s 6 de julho | 18h00 Camões – Centro Cultural Português em Maputo

CartazUSAKOS

A exposição USAKOS: Fotografia para Além de Ruínas inaugura no dia 6 de julho, às 18h00, no Camões – Centro Cultural Português em Maputo e mostra três coleções particulares de fotografia histórica preservada por quatro mulheres residentes na pequena cidade namibiana de Usakos.

Com a curadoria de Paul Grendon, Giorgio Miescher, Lorena Rizzo e Tina Smith, a exposição consiste em painéis móveis com fotografias a preto e branco selecionadas a partir das coleções das mulheres residentes em Usakos, as quais entram em diálogo com fotografias a cores contemporâneas de autoria de Paul Grendon. São também apresentadas informações históricas e dois grandes mapas. A exposição apresentada no Camões – Centro Cultural Português em Maputo é uma versão itinerante da exposição permanente, baseada em Usakos. Anteriormente a Maputo, durante o mês de maio e junho, USAKOS: Fotografia para Além de Ruínas esteve em Pretória (África do Sul) e depois de Maputo, segue viagem para Windhoek (Namíbia).

Usakos desenvolveu-se como um dos principais eixos do primeiro sistema ferroviário alemão, e depois sul-africano, na Namíbia. A sua morfologia urbana passou a ser fortemente marcada pelas políticas de segregação e planeamento urbano do apartheid.

As coleções fotográficas preservadas pelas quatro mulheres residentes capturam a rica paisagem, física e social, da antiga localidade, entre as décadas de 1920 e 1960. A maioria das imagens foi tirada por fotógrafos africanos locais ou itinerantes, e evidenciam uma vibrante cultura estética e visual num ambiente cosmopolita que se opõe às restrições e constrangimentos impostos por uma política racial intransigente.

As ressonâncias que as antigas coleções fotográficas produzem no passado, presente e futuro são retomadas por Paul Grendon, ao retraçar as camadas da experiência de Usakos, do colonialismo ao apartheid, que todavia permanecem visíveis na paisagem física e social da cidade.

Fruto de um acordo de cooperação entre a Universidade de Basileia, na Suíça, e a Universidade da Namíbia, estudantes de ambas as instituições participaram na conceptualização e montagem da exposição, tendo sido sobretudo responsáveis pela sua dimensão investigativa. Com o apoio do Basler Afrika Bibliographien, na Suíça, produziu-se um catálogo que inclui ensaios sobre fotografia e a história urbana de Usakos, bem como imagens organizadas em duas secções: fotografias a preto e branco apresentando as colecionadoras e suas coleções históricas, e uma secção a cor com as imagens produzidas por Paul Gredon. 

A exposição USAKOS: Fotografia para Além de Ruínas pode ser visitada no Camões – Centro Cultural Português em Maputo entre 6 de julho e 4 de agosto, de segunda a sexta-feira, entre as 11h00 e as 18h00. Esta iniciativa, conta com o apoio da Pro-Helvetica Joanesburgo e do Camões – Centro Cultural Português em Maputo em parceria com: Carl Schlettwein Stiftung Basel, Centro de Estudos Africanos - Universidade de Basileia, Freiwillige Akademische Gesellschaft Basel, Max Geldner Stiftung Basel, Associação de Museus da Namíbia, Stiftung Mercator Schweiz, Universidade da Namíbia e Museu Usakos.

Concerto de Canto, Flauta e Clarinete Escola Nacional de Música Camões – Centro Cultural Português em Maputo 30 de junho | 18h00

CartazENMúsica2017

O Camões – Centro Cultural Português em Maputo acolhe no dia 30 de junho, às 18h00, umConcerto de Canto, Flauta e Clarinete dos alunos da Escola Nacional de Música. Este concerto gratuito e aberto ao público é resultado de uma parceria entre as duas instituições que teve início há quatro anos, altura em que a Escola Nacional de Música passou a apresentar, anualmente, um dos seus concertos no Camões – Centro Cultural Português em Maputo.

O concerto deste ano da Escola Nacional de Música é uma simbiose entre canto vocal, flauta e clarinete e tem como objetivo a apresentação das competências adquiridas pelos alunos ao longo do seu tempo de formação. São coordenadores deste concerto os professores Isabel Mabote, Páscoa Ricardito e Marisa Olumene na área do canto; Bernardo Matola no Clarinete e Jorge Júlia Manhique na Flauta.

A área do canto será apresentada por alunos do 1º ao 5º ano da Escola Nacional de Música, com interpretações dos temas Come Again; Niuzumi e O Sol Ardendo. Em representação da área do clarinete as alunas Olayinka, Flávia, Deolinda Cossa, Sheila Mazuze e Nicole Lobo, com apresentação dos temas Quarteto de Clarinete e Flauta; Mapa Mapa; Kirilo e Duo in G. Na flauta serão apresentados temas como Exercise First; Duo in Ré; Trio for Flute; Danse Allemande; King ya Marrabenta e Tsunela Papai pelas alunas Lindalva Frank; Lina Maura e Vânia Matusse.

A Escola Nacional de Música é uma instituição sob a tutela do Ministério de Cultura e Turismo de Moçambique que se dedica ao ensino da área musical, nomeadamente ao canto, piano, flauta, clarinete, saxofone, trompete, guitarra, violino e percussão.

ETNOMUSICOLOGIA NO CONTEXTO ATUAL | FESTIVAL RAÍZ | 28 JUNHO | 14H00-\8H00 | CAMÕES - CCP MAPUTO

Cartaz etnomusicologia

No dia 28 de junho, entre as 14h00 e as 18h00, realizam-se no Camões – Centro Cultural Português em Maputo duas palestras subordinadas ao tema A Etnomusicologia no Contexto Atual. A iniciativa enquadra-se no programa do Festival Raiz e é promovida em parceria com a Escola de Comunicação e Artes da Universidade Eduarde Mondlane e o ARPAC – Instituto de Investigação Sócio-Cultural.

Os pesquisadores Eduardo Lichunge e Marílio Wane abordam os temas “Texto e contextos da música em Moçambique: do período colonial à fundação da Primeira República” e “Pesquisa sobre música e dança sob a perspetiva do Património Cultural em Moçambique", respetivamente. Este programa tem por objetivo dar a conhecer as pesquisas em etnomusicologia em Moçambique, bem como tornar mais acessível, sobretudo para os estudantes, os materiais pesquisados sobre esta matéria no país.

Esta atividade está inserida na programação paralela da 2ª Edição do Festival Raiz, um projeto criado por jovens artistas que pretendem desenvolver um conjunto de iniciativas que funciona como alicerce para resguardar a vida da raiz cultural, as suas origens rítmicas, a sua história, fabrico e forma de tocar os instrumentos tradicionais.

A 2ª Edição do Festival Raiz conta com o apoio do Camões – Centro Cultural Português em Maputo, que se junta a um leque alargado de parceiros para concretizar esta iniciativa.

Contactos

Av. Julius Nyerere, nº 720 / 730
4696 – 00110 - Maputo

(00258) 214 903 16 / 19 / 22
maputo@mne.pt

Mais informação

Ligações úteis

Lisboa Capital Iberoamericana da Cultura

Diário da República

Portugal 30 anos na União Europeia

Igualdede de Género

Logotipo Portal das Comunidades Portuguesas

Conselhos aos viajantes

Logotipo Camões - Instituto da Cooperação e da Língua

Logotipo Turismo de Portugal

Websummit

Logotipo AICEP - Portugal Global

EMP logo

IDI

PORDATA

Logotipo Portugal Economy Probe

Logotipo Carreiras Internacionais